Nas aulas de audiovisual

Um apartamento para brincar de Estátua!

Árvores secas adesivadas na parede, passarinhos prateados decorativos, almofadas estampadas, tapete de couro, abajur vermelho, espelho dourado, bibelôs, aromatizadores de ambiente, porta-retratos, sofá de veludo, cacto na sala de jantar. O apartamento de “Estátua!” é assim, um tanto comum, cafona e claustrofóbico. Persianas e cortinas quase sempre cobrem as janelas, e parecem se abrir apenas para a escuridão. Por fim, um espaço de muita sombra e pouca luz, onde a babá Isabel, no sexto mês de gestação, irá cuidar de Joana por alguns dias. Enquanto avalia um futuro incerto, Isabel percorre as camadas do apartamento: portas entreabertas, quinas sobrepostas, corredores vazios, um biombo de madeira entrecortado, armários e prateleiras abarrotadas. Como na gaiola do hamster de Joana, o confinamento parece inescapável. Não só o cenário dessa história, mas também a conhecida brincadeira infantil que intitula o filme – ‘estátua!’- são expressões de uma solitária gravidez.

Filme: Estátua! Direção: Gabriela Amaral Almeida. São Paulo, 25 min. 
Estátua! está disponível no youtube, no canal Hysteria.
Diretora: Gabriela Amaral Almeida (São Paulo/SP, 1980). 

FRANÇA, Ana Claudia C. V. de. Um apartamento para brincar de Estátua!. Blog Caleidoscópica, 2021. Acesso em: . Disponível em: <https://anafranca.com.br/um-apartamento-para-brincar-de-estatua/>.


Publicado por Ana França

Sou professora no Departamento Acadêmico de Desenho Industrial (DADIN) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), no campo de Narrativas Visuais e Produção da Imagem. No doutorado pesquisei sobre mulheres no circuito de cinema em Curitiba, entre 1976 e 1989 (PPGTE/UTFPR). Dedico-me a projetos em narrativas visuais e investigações sobre mulheres no audiovisual, nos cruzamentos entre história, narrativa, literatura, texto e imagem.