clube de leitura

Uma casa de açúcar

Cristina era uma mulher de superstições. Não poderia, por exemplo, comprar morangos em dezembro ou enfeitar a casa com peixinhos vermelhos. Acreditava também que uma casa para viver precisava ser nova, do contrário, o passado dos antigos moradores provocaria interferências decisivas na sua vida. É seu marido que conta o que aconteceu depois que o casal foi viver numa casa tão branca que parecia de açúcar. Contam por aí, “A casa de açúcar”, era um dos contos preferidos de Julio Cortázar, autor de “A casa tomada” e “Histórias de cronópios e de famas”, textos que já lemos no Brisa.  

O conto “A casa de açúcar”, de Silvina Ocampo, é textos selecionado para os dias 06/11/2021 (turma 1) e 13/11/2021 (turma 2) do Brisa – Clube de leitura de contos e outros textos breves. Para participar, inscreva-se por e-mail.


FRANÇA, Ana Claudia C. V. de. Uma casa de açúcar. Blog Plástico Bolha, 2021. Acesso em: . Disponível em: <https://anafranca.com.br/uma-casa-de-acucar/>.


Publicado por Ana França

Sou professora no Departamento Acadêmico de Desenho Industrial (DADIN) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), no campo de Narrativas Visuais e Produção da Imagem. No doutorado pesquisei sobre mulheres no circuito de cinema em Curitiba, entre 1976 e 1989 (PPGTE/UTFPR). Dedico-me a projetos em narrativas visuais e investigações sobre mulheres no audiovisual, nos cruzamentos entre história, narrativa, literatura, texto e imagem.