Brisa

E se as coisas encolhessem?

“Eu estava triste porque os objetos estavam diminuindo. Foi horrível quando me dei conta. Sempre a mesma coisa: chegava cansada, tomava banho, preparava um sanduíche, tentava escrever.”

Julia codo

“Quando as coisas ficaram pequenas” é um conto de Julia Codo, do livro “Você não vai dizer nada” (2021). O conto se estrutura numa carta de uma escritora para a sua amiga Silvia. A protagonista relata com certa naturalidade e alguma frustração um fenômeno doméstico estranho: o encolhimento do sofá, da televisão, do abajur, da penteadeira, da cama. O fogão, por exemplo, diminuíra a ponto de as quatro bocas serem acesas com um único fósforo. Para terminar de escrever um livro sem se distrair com coisas que mais parecem pertencer à uma casa de bonecas, a protagonista decide ir para a casa de campo da família. Quem sabe tudo não fosse questão de deslocamento. Afinal, seriam as coisas ou a vida que vinha encolhendo?   

Conto: Quando as coisas ficaram pequenas.
Livro: Você não vai dizer nada, 2021, editora Nós.
Autora: Julia Codo (1983, São Paulo). 

FRANÇA, Ana Claudia C. V. de. E se as coisas encolhessem?. Blog Caleidoscópica, 2021. Acesso em: . Disponível em: <https://anafranca.com.br/e-se-as-coisas-encolhessem/>.


Publicado por Ana França

Sou professora no Departamento Acadêmico de Desenho Industrial (DADIN) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), no campo de Narrativas Visuais e Produção da Imagem. No doutorado pesquisei sobre mulheres no circuito de cinema em Curitiba, entre 1976 e 1989 (PPGTE/UTFPR). Dedico-me a projetos em narrativas visuais e investigações sobre mulheres no audiovisual, nos cruzamentos entre história, narrativa, literatura, texto e imagem.